Artista desenha a versão real dos personagens da Pixar; resultado é incrível

Os personagens dos filmes de animação podem diferir muito de uma imagem real. Por exemplo, se olharmos para os traços dos personagens humanos de um filme de animação, podemos ver que estes podem ser bastante exagerados e marcados, mas estamos tão acostumados a eles que nem passaria pela nossa cabeça que eles sofreram uma mudança, por menor que fosse.

Mas você já se perguntou como eles seriam se fossem reais?

Nathan Shipley, é um ilustrador californiano especializado em VFX (efeitos visuais) e se define como diretor técnico, criativo tecnológico artista gráfico de movimento. Apenas alguns dias atrás, seu trabalho foi o foco da atenção na rede porque ele refletiu como vários personagens da Pixar seriam na vida real e a verdade é que o resultado é alucinante. Você não pode perdê-los!

+  Homem morde cachorrinha e diz que ela começou a briga

1 – "Flecha"

Se foi sua paixão durante a infância, agora é real. Falta o filtro do Instagram das sardas *sol* e já estaria pregado. 

Ele também fez uma versão do Dash para parecer ainda mais real e publicou em sua rede social do Twitter, mas dessa vez o artista utilizou uma técnica diferente. Porém o resultado não deixou de ser surpreendente.

+  Lembra da Trans Ariadna do BBB11? Você precisa ver como ela está atualmente

Literalmente Incrível. Veja só como ficou o resultado:

2 – Sr. Incrível

Eu só não superei isso, realmente. Não sente um pouco de pena dele?

+  Este animal está intrigando pesquisadores pelo mundo, o que ele faz, vai te surpreender

3 – Mulher-elástica

Desde quando é Brenda Song Elastigirl? Piadas externas, eu gostaria de ver se na vida real é tão elástica quanto no filme.

4 – Winston Deavor

Se eu sempre me lembrava de Bob Odenkirk, agora a teoria só está confirmada.

5 – Pequeno Miguel

Pode ser mais adorável? Olhe para esse sorriso.

6 – Russell

A melhor coisa é que o boné se transformou em uma peruca super chique que esperamos nunca se tornar moda.

Qual retrato mais chamou sua atenção?


PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário