Casal e bebê são atropelados em faixa de segurança

Um casal com seu bebê por um atropelados em cima de uma faixa de pedestre  na cidade de Montenegro ni interior do Rio Grande do Sul.
O acidente foi registrado por câmeras de monitoramento que ficam na via.

Já as imagens que circulam nas redes sociais são uma câmera de segurança que fica no mercado no outro lado da rua defronte a faixa de segurança onde ocorreu o acidente.
Nas imagens é possível ver o momento que a mãe Abraça o filho e vira se tentando proteger o menino do impacto do veículo.

+  Vaza vídeo do criminoso que matou Cabo Cardoso "cara de choro"

O acidente ocorreu no último sábado dia 28 de Novembro porém a identidade dos envolvidos não foi divulgada.
Com tudo que você sabe que apesar do Forte susto e algumas lesões corporais no casal e a criança passam bem.

De acordo com as informações da polícia da cidade de Montenegro o acidente está sendo investigado para saber se foi imprudência do Motorista que atropelou no casal e o menino em cima da faixa de segurança.

+  Homem perde filho de 3 anos e escreve 10 regras que todos os pais devem seguir

De acordo com as informações o motorista entrou em estado de choque após o acidente. Comerciantes locais ajudaram para que a vítimas pudessem ser atendidas pela SAMU ao isolarem a área.

Não há informações  sobre se o motorista estava sobre efeito de álcoo,l porém ele vai responder por lesão corporal culposa.

Imagens viralizaram nesta manhã de terça na internet após o comerciante dono da câmera de segurança que filmou o acidente postar nas redes sociais.

+  Casa de madeira surge do nada em meio a rodovia do RS

Acidentes em cima de faixa de segurança Infelizmente são acontecimento ainda comum no Brasil motoristas e pedestres parecem não observar os regulamentos de trânsito e acabam colocando a vida de outros em risco ou a sua própria.

No caso de incidentes acima imprudência de um motorista que lançou seu veículo por cima da faixa de segurança aonde não havia sinaleira e os pedestres já estavam efetuando a travessia.

 


PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário