in

Caso Henry: Defesa de Monique alega ter ‘trunfo’ depois que prints são revelados

A investigação do caso do pequeno Henry Borel segue sendo realizada e a cada semana novas informações acabam surgindo, o caso do menino morto pela mãe e pelo padrasto, ainda consegue surpreender a todos, mesmo depois de tanto tempo. Henry morreu vítima das agressões de seu padrasto Jairo e sua mãe Monique.

Os dois, vale reforçar, estão detidos desde o dia 08 de abril, pela morte do menino, e por atrapalharem as investigações, já que estavam ameaçando testemunhas. Ao que tudo indica o casal pode pegar até 30 anos de cadeia, já que além de matar o menino de 4 anos eles ainda serão acusados de tortura.

No entanto, agora, a professora decidiu contar a sua versão da história de tudo o que aconteceu naquele fatídico dia. Segundo a professora, ela também sofria com as agressões de Jairo, com esta revelação Monique busca meios de ser ouvida pelas autoridades, já que seu pedido para depor mais uma vez foi negado.

Por conta disso, foi revelado uma conversa entre Monique e sua mãe e avó de Henry, Rosângela Medeiros, onde a acusada revela que teve de ensaiar seu depoimento antes de ir depor na delegacia, fato este que já foi comprovado, pois assim que foram recuperadas mensagens apagadas do aparelho de Monique, Thayná prestou um depoimento afirmando que mentiu a mando de seus patrões.

A jovem , para quem não se lembra, era a babá de Henry e foi ela quem presenciou as agressões que o menino de 4 anos sofreu. Segundo Monique, todo o embuste criado por eles teve supervisão do advogado André França, que não defende mais o casal.

Agora os novos defensores da professora alegam, que os prints comprovam que Monique,vinha sendo manipulada desde o começo de tudo. Os advogados, afirmaram ainda que o conteúdo da carta é todo verdadeiro, diferente do que alegam Jairo e Leinel.