in

Criança de 4 anos morre durante confronto na fuga entre assaltantes de banco e a PF

Assaltos a banco estão se tornando rotina no Brasil nos últimos anos. Primeiro os ataques a haviam começado aos carros fortes após os criminosos descobrirem o ponto fraco dos veículos algumas décadas atrás.

Foi em uma reportagem da TV Globo que foi relatado que carros fortes eram mais vulneráveis no teto naquela época, tudo isso pelo fato que as empresas não faziam blindagem no teto dos veículos. Ao descobrirem isso na década de 80 os bandidos fizeram a festa assim por se dizer.

Mas a ousadia dos bandidos subiu de patamar e logo eles começaram a intensificar seus ataques as agências bancárias.

De lá para cá os criminosos deram preferencia para realizar assalto estilo os filmes de bang bang, eles cercam uma cidade, atacam os postos polícias, cortam a rede de comunicação e causam o pavor com o uso da força bruta e violência extrema.

Nesta semana vimos dois casos destes, o primeiro foi em Criciúma e o segundo em Cametá, nos dois casos a logística usada pelos criminosos foi a mesma, nos dois casos os criminosos deixaram pessoas gravemente feridas e um PM ainda está a beira da morte após o ataque em Criciúma.

Criança de 4 anos e duas mulheres morrem em confronto entre fugitivos de assalto a banco e a PF

Assaltos a banco neste estilo deixam marcas profundas, uma criança de apenas 4 anos foi morta durante um confronto de assaltantes de banco e a PF durante a fuga dos criminosos em Camaquã no RS.

O caso que chocou a comunidade gaúcha ocorreu no final do ano passado e causou grande comoção na pequena cidade do interior do RS.

A criança era filho de um dos bandidos que estava em fuga ao lado de outro veículo após tentarem resgatar colegas criminosos que haviam participado de um grande assalto na cidade vizinha de Dom Feliciano.

A PF estava realizando uma barreira e o carro em que estavam os criminosos e além do menino outra criança furou a barreira e começou a disparar contra os agentes da PF.

Como estava escuro os agentes relataram que responderam os disparos não tinham ideia de que havia crianças nos carros.

Duas mulheres e o menino de 4 anos, filho de um dos criminosos morreram durante o confronto, a criança, porém morreu no HPS de Porto Alegre, o menino havia sido encaminhado em estado grave após receber os primeiros atendimentos na cidade.

O pai da criança foi identificado como sendo Marcos Luis Berghann, um perigoso e procurado assaltante de bancos, ele foi preso após receber atendimento médico, mas após sua prisão ele foi encontrado sem vida em uma cela da PF em Porto Alegre.

Segundo o divulgado ele havia tirado sua própria vida, a mãe do menino também integrava o bando e é uma das duas mulheres mortas no confronto, a outra mulher morta é a mãe da segunda criança que estava em outro veículo que também efetuou disparos contra a PF.

Após um ano da morte do garoto a PF ainda não informou qual foi o resultado da investigação interna que tinha por alvo investigar a conduta dos agentes envolvidos no tiroteio.