Carregando Notícia
Notícias

Criança tem 7 paradas cardíacas antes de falecer por picada de escorpião ao colocar tênis; mãe desabafa

Luiz foi picado enquanto colocava o tênis. 'Pior momento da minha vida', relata mãe

A criança de apenas sete anos, Luiz Miguel, faleceu nesta última terça-feira (25), no município de Anhembi, interior de São Paulo. Ele foi picado por um escorpião ao colocar o tênis para curtir o dia com a família.

PUBLICIDADE

A mãe dele, Angelita Proença Furtado, de 44 anos, fez um desabafo dos últimos momentos ao lado do filho, ele ainda sofreu sete paradas cardíacas durante o período em que estava no hospital.

Angelita contou que a família estava se preparando para passear e o quanto o filho estava animado. A mãe diz que ele estava muito alegre para ir ao camping, pois ele sempre gostou de brincar na água.

“Estávamos nos preparando para ir ao camping, porque ele amava brincar na água. Ele, como sempre, muito ansioso. Parecia que queria viver tudo o que tinha para viver em um único dia. Hoje, percebo que é como se ele realmente tivesse pressa de viver”, diz a mãe.

De acordo com ela, seu filho foi picado por um escorpião enquanto estava colocando o tênis para o passeio. Disse que assim que o filho botou o calçado, imediatamente gritou de dor e que essa sensação estava ficando forte. Na mesma hora eles ficaram procurando o que podia ter acontecido, mas imaginaram que fosse um escorpião.

“Logo que calçou, ele gritou com dor. Como não encontramos o que o havia picado, ficamos procurando. Mas a perna dele começou a ficar vermelha e ele disse que estava subindo a dor. Foi quando imaginei que realmente fosse o escorpião e que precisava encontrar para saber qual era”, conta.

Angelita informou que cinco minutos depois, encontraram o escorpião e correram rapidamente para o pronto-socorro mais próximo. Ele foi encaminhado para o Hospital das Clínicas de Botucatu, também no interior, onde seria possível aplicar o soro antiescorpiônico.

A mãe da criança fez um desabafo sobre os dias de angústia enquanto o filho estava na UTI pediátrica da unidade de saúde, mas ressaltou que recebeu muita atenção e apoio da equipe e da mãe de outros pacientes que estavam na UTI. Mas, infelizmente, os médicos informaram sobre uma irreversibilidade do quadro do garoto. Após sete paradas cardíacas, Luiz Miguel, de sete anos, não resistiu às complicações e faleceu.

Angelita encara o momento difícil e tenta tirar de si o sentimento de culpa.

“É claro que o sentimento de culpa bate à porta, querendo entrar, penso nas coisas que poderia ter feito e não fiz por falta de tempo. Mas sei que não posso viver com esse sentimento”, desabafa.