Estado de saúde de Carlos Alberto de Nóbrega preocupa a todos ‘ depressão, choro muito’


Carlos Alberto de Nóbrega surpreendeu na noite da última sexta-feira (24) ao participar do programa Conversa com Bial. Diferente de seu personagem em A Praça é Nossa, o apresentador e humorista apareceu com uma barba e um moletom muito bem para falar sobre a atratividade do SBT e sua carreira. Comentando a paralisação das fitas do programa por conta da pandemia do coronavírus, disse que estava deprimido:


“Quando quebrou alguma coisa, fui para o meu lado. mas não. Quando voltei para São Paulo, a ordem do Silvio era que eu, ele e o Raul Gil só voltássemos se eu tivesse a vacina. Então comecei a ficar muito deprimido, com uma depressão que não estou porque sou um cara alegre, um striker que acha que vai dar tudo certo, disse.

+  Mãe mata as duas filhas de 1 ano e outra de 2 meses para vender os órgãos porque ‘valiam muito dinheiro’

Aos 84 anos, Carlos Alberto disse que as coisas pioraram quando teve que ir ao estúdio do SBT preparar reprises de um programa que seria exibido na quarentena: “Quando eu cheguei e vi o vazio, cara, comecei a chorar no carro. Eu chorei muito. Aí fiquei doente porque essa é a minha vida. Já vi o SBT crescer na Anhanguera ”.

+  Mulher acusada de torturar brutalmente e assassinar filha recém-nascida é julgada e decisão do juiz gera revolta no DF

Explicou que Silvio Santos chegou a aceitar que voltasse a gravar após pleitear a volta ao trabalho, porém, impondo certas condições, como a realização do programa fora do estúdio. Mas dias depois, quando Eliana foi diagnosticada com o vírus, o patrão mudou de ideia novamente. Questionado por Bial sobre como via o andamento do programa, Carlos Alberto, que está no banco desde 1987 quando herdou o cargo de seu pai, Manuel de Nóbrega, explicou que não gostaria de ver seu filho Marcelo, que atualmente dirige a atração, em seu lugar : “- Não consigo imaginar o Quadrado nem em cinco anos.

+  Vídeo: Após flagrar marido com suposta amante, mulher parte para agressão e destrói automóvel ' Meu Deus, ela quebrou tudo'

Acho que o Quadrado acaba comigo. Seria um grande mal para o Marcelo repassar tudo o que passei. E o sonho do Marcel seria sentar-se ali num banco. Mas acho que é grande. peso. E eu gosto muito dele para querer isso para ele. Porque este lugar pertence a ele.

Não existe uma estrutura como a minha. Comecei a trabalhar com meu pai aos 9 anos. Tínhamos uma grande simpatia.

 


PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário