Família diz que criança morreu engasgada, Polícia suspeita de violência sexual

O CASO

Uma criança de apenas dois anos e sete meses faleceu, no dia (27) na manhã de terça feira, na cidade de joão pessoa. com a suspeita de principal que poderia ser sido vitima de abuso sexual. a policia investigar o caso com cautela.

Tv correio levantou informaçoes que a criança faleceu logo após da ter a entrada no hospital municipal da cidade de valentina, na zona sul. a familia da criança irformou que após come migau a criança engasgou.

LAUDO APONTA

mas a surpresa maior no laudo hospitalar, mostrar ferimentos e lesões no ãnus, que apontava violencia e abuso.

A direção do hospital ligou para policia civil, que solicitou que o corpo não fosse imediatamente liberado a familia, e logo após foi levado a policia científica (IPC).

+  Homem obriga jovem de 21 anos a ter relações por video-chamada para não vazar fotos íntimas

ainda o laudo da perícia não foi divulgado pela polícia civil que investigar o caso.

RESUMO
 

 

O caso vem chamando atenção da populção e tambem da web, muitos ficaram com duvida e fazem perguntas e questionamento a policia sobre o caso que ainda não se manifestou.

Violência sexual

Polícia investiga marcas de violência sexual em morte de criança supostamente engasgada

Uma criança de dois anos de idade não resistiu a uma parada cardiorrespiratória em um hospital municipal em João Pessoa (PB) . Apesar de os familiares alegarem que a criança se engasgou comendo mingau, a polícia civil de João Pessoa e a equipe médica do hospital trabalham com a hipótese de que o menino tenha sido vítima de  Violência sexual.

+  Funcionário de hospital encontra rato cozido dentro de seu sanduíche

Para passar por investigação,o corpo da criança foi encaminhado para o IPC (Instituto de Polícia Científica) onde passa perícia para identificar a real causa da morte. As informações foram confirmadas pelo delegado seccional Pedro Ivo Soares Bezerra, da Primeira Delegacia da Polícia Civil da Paraíba .

De acordo com o delegado, a suspeita surgiu quando uma conselheira tutelar da região foi alertada pela equipe do hospital de que havia sinais de violência no corpo da criança, incluindo lacerações na região do ânus.

+  Velório e enterro de João Alberto, morto no Carrefour, é marcado por revolta e comoção

Pedro Ivo afirma ainda que o caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de João Pessoa e que a polícia vai intimar os familiares da criança, após o laudo ser emitido com a causa da morte.

“Segundo o que nos foi passado por uma conselheira tutelar, a criança apresentava sinais de violência pelo corpo e alterações na genitália. A polícia, então, pediu o exame cadavérico que vai apontar a causa da morte”, informou. “Vamos primeiro aguardar o laudo e em seguida buscar o total esclarecimento da situação”, completou.

 


PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário