in

Homem morto em Carrefour tinha varios antecedentes criminais


Uma triste morte que ocorreu durante a última quinta-feira (19) acabou gerando uma grande onda de comoção em todo o território brasileiro, repercutindo de forma grandiosa devido a brutalidade que ocorreu próxima a véspera do “Dia da Consciência Negra”. A vítima da violência chama João Alberto, homem negro de 40 anos da idade.

Após o fato repercutir nas redes sociais, milhares de pessoas anônimas e também famosos decidiram se pronunciar sobre o fato, se solidarizando com a família e comentando sobre a crueldade que havia ocorrido no mercado Carrefour.

Após o crime ocorrido no supermercado de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, diversas pessoas decidiram se questionar sobre quem seria o rapaz e como era sua vida antes da fatalidade.

Assim, alguns sites de notícias foram atrás de amigos da vítima para realizar uma possível entrevista. Tais amigos frisaram que João Alberto sempre se mostrou uma pessoa batalhadora e de bem. No entanto, de acordo com alguns sites, alguns fatos sobre o passado do rapaz acabaram surgindo.

De acordo com as informações concedidas pela Polícia Civil, João Alberto Silveira Freitas possui, em seus antecedentes, supostos crimes de ameaça, porte ilegal de armas e violência doméstica.

Tais informações, após a grande repercussão, foram confirmadas pelo jornalismo da emissora Globo, que informou que o homem, realmente, possuía tal histórico.

Se aprofundando ainda mais em seus antecedentes, foi confirmado que João Alberto teve as queixas de violência doméstica realizadas por sua ex-mulher.

Caso no Carrefour

De acordo com as informações emitidas pela “Brigada Militar”, as agressões dos seguranças contra João Alberto começaram após um desentendimento do homem com uma funcionária do mercado, dando início à confusão.

Ainda segundo as informações, João, no momento do ocorrido, ameaçou bater na funcionária que, de forma assustada, decidiu chamar os seguranças do local.

Os seguranças que realizaram o crime chamam Giovane Gaspar da Silva e Magno Borges. Infelizmente, os contratados pelo Carrefour, de forma criminosa, agrediram a vítima. No momento, todos os dois se encontram presos, seguindo a investigação de homicídio qualificado.