Carregando Notícia
CuriosidadesNotícias

Jovem declara seu amor pela irmã e afirma que eles vão se casar e adotar crianças

O Tweet ganhou uma repercussão gigantesca. Nos comentários, algumas pessoas apoiaram a relação, já outros condenaram e criticaram

Um fato chocante ganhou as redes sociais nos últimos dias. Um casal compartilhou que deseja adotar uma criança. Até aí tudo normal, certo? O que impressiona é que o relacionamento envolve dois irmãos do mesmo sangue. O Tweet ganhou uma repercussão gigantesca. Nos comentários, algumas pessoas apoiaram a relação, já outros condenaram e criticaram.

PUBLICIDADE

“Sim, eu estou namorando com minha irmã, e sim eu vejo ela como uma mulher, apesar de ter crescido ao lado dela (…) não tem nada melhor que amar amorosamente alguém que você conhece tão bem e sente tanta intimidade, alguém que além de ser seu parceiro amoroso é também do mesmo sangue que você”, escreveu o jovem, que se chama Yulia.

O jovem parece não se importar com a opinião de terceiros, quando o questionam sobre a prática de incesto. “Nesse ponto, já não nos importamos com o que as pessoas têm a dizer, é consensual e somos dois adultos”, relatou Yulia, concluindo falando sobre seus planos. “Estamos muito contentes com isso, planejamos nos casar e adotar filhos. Afinal, nós nos amamos e nos desejamos mutuamente”.

INCEST0 É ILEGAL NO BRASIL?

Segundo a lei, um relacionamento entre membros da mesma família não é caracterizado crime, quando se trata de dois adultos. Caso não exista ameaça e nem violência, a prática é considerada legal. “Não se configura crime. Há que se falar que é tabu moral e religioso pela sociedade, mas do ponto de visto jurídico não há crime”, explica a advogada Ana Paula Rocha, da Comissão da Mulher na OAB Ceará.

Se uma das pessoas da relação tiver menos de 14 anos, a prática é considerada estupro de vulnerável, disse a advogada. Por outro lado, o casamento vindo de um incesto não é possível de acontecer no país. “Quanto à união estável, ainda que a conduta não seja delituosa, ela é rechaçada do ponto de vista civil. Porém, não é a circunstância de haver uma relação incestuosa que caracteriza crime”, revelou.

Um projeto de lei tenta criminalizar práticas incestuosas, com prisão de até cinco anos para pessoas que se relacionam com familiares, seja com com pai ou mãe, filho ou filha, irmão ou irmã e ainda avô ou avó. É preciso que tenha apenas algum grau de afinidade ou parentesco. O projeto acrescenta um artigo ao Código Penal.