Mãe descobre que a filha foi executada pelo ‘Tribunal do Crime’ da pior forma e fica chocada

O tribunal do crime ataca mais uma vez, e desta vez foi de forma brutal, uma mãe descobriu da pior maneira o que tinha acontecido com sua filha. Uma senhora que estava desesperada à procura de sua filha de 17 anos, teve seu coração partido, por uma mensagem que deixou todos chocados.

Dona Fátima, era mãe da jovem Gisele Vitória da Silva Sampaio, adolescente que foi assassinada pelo tribunal do crime. De acordo com a senhora, ela recebeu fotos que mostravam que sua filha estava dentro de uma cova. E depois de tempos procurando ela ficou sabendo que a jovem estava morta.

+  Policial choca a web após tirar a vida da esposa grávida e se mata em seguida

Agora Fátima, busca saber onde o corpo de sua filha foi enterrado, para que ao menos possa ter um pouco de paz no coração. “Domingo à noite, dia 7 de março, ela estava falando com uma amiga no celular e quando foi por volta de meia noite falou para mim que iria sair, mas disse que voltava no outro dia”, destacou Fátima.

Seguindo em seu desabafo a senhora contou, “Ela não falou com quem, mas os vizinhos disseram que tinha um carro preto lá fora, mas eu não vi, porque eu estava colocando o bebê, filho dela, para dormir. Quando na madrugada do dia 8, meu sobrinho olhou o celular e viu uma mensagem dela dizendo: “Cadê o Davi? [Filho dela] Vão me matar!”, relatou a mãe de Gisele.

+  Vídeo gravado por uma famosa MC dentro do hospital antes de morrer deixa todos sem acreditar "logo ela"

O desabafo de dona Fátima gerou grande comoção e acabou viralizando nas redes sociais e agitou os internautas. Muitas mensagens de apoio e carinho foram mandadas para a mãe enlutada.

As autoridades agora estão analisando as imagens enviadas para Fátima, e estão auxiliando a senhora na busca pelo corpo da filha.

Gisele tinha o hábito de sair de casa, porém ela sempre retornava no dia seguinte, no entanto naquele fim de semana, ela não voltou mais. “A gente ficou esperando ela aparecer, porque ela sempre saía e aparecia três dias depois. Ela ia para a casa das amigas, ficava três dias, mas ela não estava nas redes sociais. Eu fui na casa de uma amiga dela e não conseguimos falar com ela. Foi quando apareceu nos grupos de WhatsApp que tinham assassinado ela”.

+  Morre bebê de 1 ano após se engasgar com uva e mãe faz desabafo comovente

 


PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário