Mãe e assassina de Rhuan disse que o cheiro da carne do menino ‘estava bom’

Rhuan Maycon da Silva Castro tinha apenas 9 anos de idade e foi morto  de uma forma muito cruel pela sua própria mãe Rosana Auri da Silva, e sua parceira Kacyla Priscyla Santiago.

Uma noticia muito trágica e cruel de um menino de apenas 9 anos de idade, que infelizmente sofreu uma morte que não merecia, tudo aconteceu em maio de 2019 e no fim da noite do dia (25/11) quarta-feira o Juiz  Fabrício Castagna proferiu a sentença imposta às assassinas do pequeno Rhuan Maycon de apenas nove anos de idade, a Metrópoles teve acesso de detalhes exclusivos sobre o caso da morte da criança e da sentença das assassinas.

+  Vídeo: Jovem grávida pula do quarto andar para se salvar das agressões do marido

A assassina Rosana não demostrou nenhum tipo de arrependimento ou remorso de seu ato, o que indica uma mudança de personalidade negativa, e o nível de crueldade da mãe do garoto é tão grande que o delegado perguntou para a mesma no local e no dia do crime ”vocês comeram a carne da criança?”

e Rosana a mãe da criança que cometeu o crime respondeu ‘Não, mas o cheiro estava bom’.

+  Padre é vitima de racismo por fiéis e causa revolta na web: "preto fedido"

Uma crueldade e perversidade sem fim, tudo aconteceu em Samambaia na chácara onde a família morava, as duas mulheres queimaram o garoto de apenas 9 anos de idade na churrasqueira com o objetivo de se livra do corpo do menino, enquanto a criança era queimada a sua mãe degolava o mesmo ainda vivo, isso depois de esfaquear a criança mais de 11 vezes.

+  Bomba: Gusttavo Lima e Andressa Suita tem volta anunciada e gravidez é revelada, diz Leni

A gente não consegue nem imaginar o tamanho sofrimento que na criança sofreu, sendo degolado pela própria mãe e depois ser colocado em uma churrasqueira e ser assado, tudo isso gerou muita revolta da população e muitas pessoas cometeram sobre o caso nas redes sociais sobre esse acontecimento as duas mulheres foram presas e vão passar 65 anos de reclusão em regime fechado.


PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário