Carregando Notícia
Notícias

Menina de 14 anos m0rre após sofrer parada cardíaca na escola

"Não conseguimos entender direito, ela era uma menina saudável", disse o pai

A jovem, Ana Gabriela Minks Guazina, de apenas 14 anos, morreu nesta segunda-feira (7/03/2022) após passar mal durante a aula na Escola de Ensino Fundamental Idalino Pedro da Silva, que fica na cidade de Parobé, no Vale do Paranhana (RS). A causa da morte da jovem de apenas 14 anos foi atestada como causa cardiovascular inespecífica.

PUBLICIDADE

Marcuse de Jesus da Cunha Guazina, que é o pai da adolescente, disse que todos os familiares e amigos estão em choque e intrigados, pois se tratava de uma jovem muito saudável.  Não conseguimos entender direito o que aconteceu, ela era uma menina muito saudável. Fazíamos um check-up todo ano e nunca apareceu nada nos vários exames que ela vez– disse ao Jornal NH, na quarta-feira (9).

Em contrapartida, no domingo (6), que foi a véspera do óbito, Ana Gabriela teria feito algumas perguntas sobre infarto a seu pai. Embora ela não tenha relatado sentir nenhum dos sintomas, o pai lembra que sugeriu para a filha que eles poderiam procurar um médico cardiologista para fazer exames. No dia seguinte, Ana Gabriela começou a sentir-se mal durante a aula de Matemática, queixando-se de uma forte e intensa dor no peito.

“Ela não chegou a cair no chão, o professor José Rogério Prates a deitou e tentou ajudá-la. Logo avisou a direção [da escola] – relatou o pai. Imediatamente fui pegar o carro para ir buscá-la e levá-la para o hospital. Mas enquanto estava em casa, me ligaram novamente e avisaram que ela estava sendo levada de ambulância com a diretora. Fui direto para o hospital e quando cheguei ela estava sendo atendida. Instantes depois, me deram a notícia”

Todos os familiares da casa de Ana Gabriela se vacinaram contra a Covid -19, inclusive, a própria jovem também. No entanto, a família disse que descarta que a morte tenha alguma relação com a vacina. O pai ainda ressalta que essa hipótese nem mesmo foi sugerida pelos médicos.

“Nunca passou pela nossa cabeça de relacionar com a vacina. A gente sabe que, na medida que foi aumentando a vacinação, a queda de mortes por Covid foi muito grande. Meu pai teve Covid, só que vacinado, não teve problema. Minha mãe perdi em fevereiro do ano passado, só que ela não teve nenhuma dose. A gente não fez nenhuma relação”, finaliza o pai de Ana.