Mulher abandona seu próprio filho por que o namorado não aceitava a criança

Relembre o caso: Mulher abandonou criança na rua após ter brigado com o ex namorado.

Uma mulher de 30 anos, moradora da cidade de sorocaba no estado de são paulo, deixou seu filho de 3 anos sozinho na calçada após brigar com seu ex namorado. Segundo os vizinhos da mulher, ela não aceitava o termino do namoro e ameaçava sempre o ex namorado quando ele ia visitar a criança.

O rapaz não era pai biologico da criança, mas ia visitar pois criou um vinculo com a criança na epoca em que os dois namoraram. 

+  Quadrilha em Cametá, Pará, realiza assalto semelhante ao de Criciúma

O abandono da criança foi por vingança. Segundo uma vizinha no dia da briga ela chegou a rasgar a camiseta do rapaz, pois o segurava para que ele não fosse embora.

A criança foi encontrada na calçada por vizinhos que logo acionaram a policia, o menino de 3 anos estava com os pés e os joelhos feridos. 

Os vizinhos que presenciaram a briga disseram que quando o ex namorado entrou no carro, a mãe da criança o empurrou pra afasta-lo enquanto ela corria atras do carro, por isso a criança ficou ferida. 

+  Morre aos 38 anos de Covid-19 Cantor de pagode; 'Tinha muita saúde'

A criança foi levada a um lar provisório pelo conselho tutelar, dias depois a mulher assumiu ser usuária de drogas e então ela foi levada para o CAPS para tratamento.

Uma conhecida da mulher confirmou que ela usava drogas e isso foi um dos motivos pelo ex namorado ter terminado com ela. “Quando ela não usava gritava muito e dava pra ouvir ela quebrando as coisas”, disse uma vizinha que não quis se identificar.

+  Saiba toda a verdade sobre Beto Freitas Pai de 4 filhos, vizinho do mercado onde foi morto

O conselho tutelar entrou em contato com o avô materno da criança, que foi busca-lo em sorocaba, A familia dela mora em são paulo. Segundo o conselho a mulher respondeu por abandono de capaz e maus tratos e pagou multa na justiça.

O caso aconteceu em 2013, nós procuramos mas não obtivemos mais informações sobre a mulher. 

 


PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário