Mulher é agredida por policial na base da PM “Só mandava eu calar a boca e me batia muito”

Nesta segunda feira dia 23 de novembro, um video causou revolta. Uma mulher de 44 anos foi agredida por um policial dentro da base da PM. O caso ocorreu em setembro, porém só agora que o vídeo veio a tona. 

A mulher foi na corregedoria nesta segunda para prestar queixa contra o policial que a agrediu. Ela estava muito abatida e disse sentida que ele só mandava ela calar a boca e depois batia muito.

Ela pediu para que sua identidade fosse mantida em segredo, pois teme que algo de ruim aconteça com ela por causa do vídeo. 

+  Um pai abusa de sua filha de 10 meses e depois pesquisa na Internet: ''Como saber se bebê está morto''

“Quando aconteceu todo o episódio, foi em um sábado, e eu fiquei presa até domingo. Nesse intervalo, meu esposo foi até a polícia solicitar imagens junto com o meu sobrinho e foi informado que não tinha imagens, que aquilo lá era fictício e como eu ia provar que tudo isso era verdade? Que eu fui espancada?” disse a mulher. 

+  Amante grávida é queimada viva dentro de carro pelo pai do bebê que era casado e pela esposa que descobriu

O caso ocorreu quando a mulher foi detida por uma confusão em um restaurante, todos os envolvidos foram para delegacia para registro. 

A mulher ainda disse que no momento ninguém a deixou denunciar, nem fazer exame de corpo de delito. 

Os filhos dela também foram levados pelo conselho tutelar e ela relata que foi a pior sensação que sentiu. 

“Quando o conselho tutelar levou meus filhos foi como se tivessem tirado minha vida, ele levou meus filhos, eu não sabia pra onde, não sabia como. Me senti totalmente incapaz e não havia palavras, eles [policiais] não queriam me ouvir. Esse era o problema, eles não queriam me ouvir, eles não me deram a opção de contar a minha versão. Ele só me mandava calar a boca, ele me batia muito”

+  VÍdeo: Criminoso manda morador desligar o celular durante assalto de Criciúma

Ela ainda relata que muitas pessoas estavam no local e presenciaram ela sendo agredida, porém ninguém fez nada. Ela espera que a justiça seja feita. 

 


PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário