Padre armazenava e transmitia imagens de pornografia infantil


Um padre do Rio Grande do Sul foi condenado pelo crime de pedofilia. O  padre Evair Heerdt Michels, que presidia a congregação Josefinos de Murialdo, foi condenado após ser preso por armazenar e transmitir imagens de sexo ou pornografia envolvendo crianças da pequena  comunidade gaúcha. Sua sentença foi aplica pela 6ª Vara Criminal de Porto Alegre, cabe recurso. A pena a qual o padre terá de cumprir é de oito anos, seis meses e 16 dias de reclusão e 150 dias-multas.


A sentença foi aplicada nesta última terça-feira (24) por crimes que foram descobertos no ano de 2018, foram dois anos de investigações as quais como prova a justiça usou imagens de uma afiliada da Rede Globo no RS. De acordo com as informações, a RBS teve acesso a material comprometedor que provavam o envolvimento do padre em crimes de pedofilia, as acusações foram feitas no ano de 2017 e a Polícia Federal começou a investigar o caso, foi em 2018 que computadores da casa do padre foram apreendidos e imagens comprometedoras envolvendo relações sexuais com crianças foram descobertas.

+  Vídeo: População se revolta e espanca homem que atropelou motoboy e fugiu do local

O padre que desde de então estava fazendo o uso de tornozeleira eletrônica e devia respeitar restrições impostas pela Justiça Federal — uma das proibições era a de não “circular e participar de eventos ou de qualquer tipo de atividade onde há crianças ou adolescentes”. Ele também estava afastado de suas atividades religiosas até o dia de seu julgamento que ocorreu nesta semana em Porto Alegre.

+  Bomba: Gusttavo Lima e Andressa Suita tem volta anunciada e gravidez é revelada, diz Leni

O crime chocou a comunidade religiosa que tem sua sede na cidade de Caxias do Sul no interior do Rio Grande do Sul, em especial pelo fato que a congregação a qual o padre fazia parte tem como seu objetivo ajudar e proteger  crianças e adolescentes em situação de risco. No entanto apesar de ser temporariamente afastado das atividades religiosas envolvendo crianças ou adolescentes a congregação afirmou que ele não será punido nem investigado neste momento.

+  Mãe descobre que a filha foi executada pelo 'Tribunal do Crime' da pior forma e fica chocada

Mas após serem procurados pela imprensa a comunidade religiosa informou que aguarda a analise judicial do caso que vai ser realizada nesta quarta-feira 25 de Novembro para por fim  encaminhar ao Conselho Geral de Roma (autoridade maior da Congregação Religiosa), que as entregará ao Vaticano para as devidas providências”.


PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário