Sem ter o que comer, moradores cavam buraco para pegar frango que foi descartado pela vigilância sanitária.

A fome e a desigualdade social no mundo é uma realidade cruel. Apesar disso, muitos se chocam quando veem uma cena de desespero por quem está passando fome. Esse caso que você irá ler a seguir é de cortar o coração. Se a desigualdade social já era forte antes, imagine com uma pandemia que afetou o mundo o inteiro. 

MORADORES EM DESESPERO POR CAUSA DA FOME DESENTERRAM FRANGO IMPRÓPRIO PARA CONSUMO NA ARGENTINA. 

Um caso na Argentina chocou a todos, na cidade de porto Iguaçu moradores em situação de vulnerabilidade social, foram pegos desenterrando carne de frango que foi confiscada pela vigilância sanitária. Os moradores estavam passando fome.

+  Policial que atendeu o acidente fatal da própria filha comove a todos: 'Pedi força a Deus quando vi que era ela'

Os videos e fotos mostram crianças, adultos e idosos revirando o chão atrás de comida, segundo Claudio Altamirano as imagens divulgadas relatam a crise economica vivida no país. 

“Toda essa situação complexa, socioeconômica, faz com que Porto Iguaçu esteja afundada na miséria, na pobreza e na fome. Essas imagens são o reflexo fiel, a realidade de como estamos hoje em Porto Iguaçu. A fome bate forte nas portas e também esvazia os potes das famílias. Eles tiveram que desenterrar frango para poder comer.”

+  PAVOR: Homem mata amigo e caminha pelas ruas carregando a cabeça da vítima

“Essa é a verdadeira imagem de Porto Iguaçu, não a imagem da maravilha natural, das Cataratas, de milhões de turistas, de todo glamour, de filmes famosos, dinheiro, ouro, perfume. Essa não é a realidade daqui”

Porto Iguaçu tem 105 mil habitantes e faz divisa com a cidade de foz Iguaçu, aqui no Brasil, no paraná. A cidade depende economicamente do turismo, porém os portos estão fechados desde março de 2020, por causa do ínicio da pandemia do novo corona vírus.

+  Neto é preso após agredir a avó no Leblon

Segundo a prefeitura de Porto Iguaçi as carnes estavam impróprias para consumo, por isso elas foram descartadas. As carnes estavam há mais de 24 horas sem refrigeração. 

A marinha argentina, responsável pelo descarte das carnes ainda não se pronunciou sobre o ocorrido.

 

 


PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário