Carregando Notícia
Notícias

‘Tive relações duas horas após dar à luz meu bebê’, conta mãe

O caso viralisou e dividiu opiniões entre os usuários das redes sociais.

Uma reportagem sobre uma mulher que alegou não esperar o resguardo passar para fazer amor chocou muitas mulheres, inclusive especialistas. O assunto se tornou um dos mais comentados nas redes sociais e acabou viralizando após forte entrevista de Deborah.

PUBLICIDADE

O ato da mulher dividiu opiniões entre os usuários das redes sociais, causando alvoroço. Algumas pessoas saíram em defesa dela e disseram que se ele se sentia bem deveria mesmo praticar o ato. Em contrapartida, alguns usuários foram contra dizendo que ela deveria esperar o momento certo, já que “tudo acontece em seu devido tempo”.

Deborah Hodge, 44, ganhou as manchetes em todo o mundo ao compartilhar detalhes de sua vida privada. Segundo ela, após o parto, ela foi para a cama com seu parceiro. A intimidade ocorreu apenas duas horas após o parto e chocou todo o planeta.

Médicos fazem alerta importante sobre essa prática

Para os médicos, as mulheres devem se proteger por pelo menos 40 dias. No geral, a maioria das pessoas não segue uma regra tão longa, mas um prazo tão curto de “hora H” chocou milhares de mulheres em todo o mundo.

Veja o que disse Deborah em entrevista ao The Sun

O quarto filho de Deborah Hodge nasceu em 2013, algo que mudou sua vida e a tornou muito conhecida. Em entrevista ao The Sun, a mãe disse que decidiu voltar à final tão cedo apenas porque sentiu vontade.

Segundo a entrevistada, isso só aconteceu por causa do vínculo profundo entre ela e o marido tem. Falando sobre o nascimento de seu filho mais novo em 2013, ela confessou: “Amelia estava dormindo no berço e meu marido e eu estávamos deitados na cama abraçados. Então começamos a nos beijar e quando eu vi, estávamos fazendo amor!”.

Ainda segundo Deborah, ela não sentiu dor no momento do parto, o que pode ser explicado pela medicação que tomou logo após o nascimento do bebê. Ela esclareceu que, apesar da proximidade e dos fatos, ainda hoje luta para esclarecer o que acabou fazendo.

Especialistas explicam os riscos de quebrar o resguardo

Interromper o resguardo, como fez Débora, pode causar sérios problemas de saúde tanto para mulheres quanto para homens. Para as mulheres, existe o risco de infecções vaginais e uterinas, enquanto para os homens, há um risco aumentado de infecções da próstata.